quarta-feira, 1 de junho de 2011

Lagosta suada à moda de Peniche


Diz a sabedoria popular que há uma primeira vez para tudo, pois esta foi a  primeira vez que cozinhei lagosta.
O resultado não poderia ser melhor, ficou aprovadissima.
Ao escolher a lagosta fiz batota comprei congelada porque não me achei com capacidade de cortar aos pedaços uma coisa viva.
A receita foi tirada do site "Roteiro Gastronómico".

Preparação:
1- lagosta viva (ou um lavagante) (a minha como referi era congelada e já cozida)
50 grs- de manteiga ou margarina
3- cebolas (usei 1 grande e foi o suficiente)
1 kg- de tomate
2- dentes de alho
1,5 dl- de azeite
2 dl- de vinho branco
0,5 dl- de aguardente velha
2- cálices de vinho do Porto (seco)
2- malaguetas de piripiri
- salsa
1- folha de louro
-colorau
-sal
-pimenta
-noz-moscada (não usei)

Preparação:
Tira-se a tripa à lagosta introduzindo uma das antenas pela a cauda até à cabeça; faz-se um ligeiro movimento rotativo e puxa-se rapidamente a antena.
Coloca-se a lagosta suspensa sobre um tacho de barro, onde se deitaram dois ou três dedos de água e deixa-se o crustáceo sangrar.
Estende-se depois a lagosta sobre a tábua e aperta-se com a ajuda de um pano, e com uma faca bem afiada corta-se pelos anéis.(Dizem os entendidos de marisco que antes de cortar a lagosta se deve por no congelador algum tempo, assim fica adomercida e não é doloroso)
Cortam-se depois as antenas, as pinças e as patas.
Abre-se a cabeça da lagosta ao meio no sentido perpendicular, retira-se o saco cinzento aproveitando todo o restante recheio e o líquido que ficar na tábua, (como a minha era congelada e já vinha limpa só foi corta-la aos pedaços).
Picam-se as cebolas e um bom ramo de salsa e cortam-se os dentes de alho em lâminas.
Pela-se e corta-se o tomate em bocados.
Colocam-se no fundo de um tacho de barro as patas, as antenas e as pinças da lagosta.
Por cima dispõe-se metade da porção da lagosta e cobre-se com uma camada de cebola, salsa e tomate.
Polvilha-se com algumas lâminas de alho.
Rega-se com o azeite e tempera-se com sal, pimenta e colorau.
Em camadas sucessivas introduzem-se no tacho os restantes anéis de lagosta, cebola, salsa, tomate e alho.
Junta-se o vinho branco e a aguardente.
Juntam-se as malaguetas de piripiri, o louro, sal, pimenta e noz-moscada, colorau e, finalmente, a manteiga.
Fecha-se hermeticamente o tacho e deixa-se a lagosta suar durante 1 hora, sacudindo o tacho de vez em quando.
Passado este tempo, junta-se o vinho do Porto e deixa-se ferver mais 15 minutos.
Serve-se imediatamente no próprio tacho, envolvendo-o num guardanapo de linho.
Acompanha-se com arroz branco.

Tive um pouco de receio ter este tempo todo a lagosta a cozinhar, como já era cozida tinha medo que ficasse muito mole, mas não  ficou com a carne bem durinha.

5 comentários:

  1. Sandra,
    que maravilha ficou esta tua lagosta. e o vinho do Porto deve dar um toque mesmo especial :) beijos

    ResponderEliminar
  2. Eu nunca comprei lagosta, mas realmente deve ser excelente assim :)
    beijoca

    ResponderEliminar
  3. Eu adorooooo, fiquei a babar, também nunca cozinhei lagosta... gostei da tua sugestão...

    ResponderEliminar
  4. Eu adoro lagosta, mas nunca me atrevi a preparar um prato com essa delícia. Quem sabe um dia... parabéns... a comidinha ficou com um aspecto optimo

    ResponderEliminar