quinta-feira, 28 de janeiro de 2010

Licor de groselha


Este foi o meu primeiro licor e foi feito em 2007. Gosto de fazer licores,  todos os anos  faço um de fruta diferente e  guardo sempre uma garrafa  para saborear de vez em quando com uma certa visita que quando chega a minha casa me pede um licor dos meus (não é D. Sónia).
A receita era da minha avó e é sempre a mesma só muda o sabor.


Enche-se a meio um frasco grande e de boca larga com groselhas e o resto de aguardente e guarda-se num local escuro no minimo um mês. Passado esse tempo filtra-se a aguardente.
Faz-se uma calda de água e açúcar em que as medidas são por cada meio litro de aguardente filtrada é meio litro de água e meio Kg de açúcar. Leva-se a água e o açúcar ao lume e deixa-se ferver mexendo sempre até o açúcar derreter e a calda estar bem misturada. Junta-se a calda e a aguardente e mistura-se muito bem e filtra-se.
Deita-se o licor numa garrafa e deixa-se repousar uns dias e depois é só provar.

Normalmente cada licor que faço rende sempre 3L, mas como em minha casa é raro bebermos álcool vou oferecendo e só fico com 1L.
Uma dica para quem quer filtar o licor mais rápido é colocar dentro de um funil um guardanapo ou um pano branco e bem limpo e é só encher cada garrafa.

quarta-feira, 27 de janeiro de 2010

Mini croissants de abóbora


Estes croissants foram feitos para o pequeno almoço de hoje. É mais uma receita prática e que toda a gente sabe fazer. Estes foram recheados com doce de abóbora mas pode-se escolher o recheio que se quiser, assim conseguimos agradar a todos.

Ingredientes:
1- placa de massa folhada redonda
- doce de abóbora qb
- açúcar em pó para polvilhar

Preparação:
Corta-se a massa aos triangulos (fica a parecer uma pizza cortada ás fatias) e em cada triangulo coloca-se uma colher de chá de doce e começa-se a enrolar da parte mais larga até à parte mais estreita. Apertam-se muito bem os lados para o recheio não sair e levam-se ao forno até ficarem dourados.
Depois é só polvilhar com açúcar em pó. 

Gosto deles quentes ou frios e com qualquer recheio doce ou salgado.



terça-feira, 26 de janeiro de 2010

Uma pequena surpresa


Ontém quando cheguei a casa para jantar tinha este prato à minha espera. Foi totalmente confeccionado pelo meu marido "Frango à Maricas" acompanhado de esparguete (tinha que ser  poque ele adora massa).
Como  estava muito orgulhoso do seu frango decidi tirar esta foto para publicar.
Com esta surpresa despachei-me mais cedo dos afazeres domésticos e conseguimos estar mais tempo enroladinhos no sofá ( é o meu momento preferido, os dois a descansar e a ver televisão). 

segunda-feira, 25 de janeiro de 2010

Doce da avó


Para o jantar de ontém fiz esta sobremesa que é muito simples e normalmente toda a gente gosta.

Ingredientes:
1- lata de leite condensado cozido
4dl- de natas
- bolachas qb
- café forte qb
- açúcar qb
- cacau qb

Preparação:
Batem-se as natas e reservam-se 1/4.  As restantes natas envolvem-se muito bem no leite condensado e distribui-se este creme por taças, ou numa taça grande.
Faz-se o café e molham-se as bolachas e colocam-se por cima do creme.
Adoçam-se as restantes natas a gosto e batem-se muito bem e decoram-se as taças. Polvilham-se com o cacau e levam-se ao frigorifico até ao momento de servir.

Costumo misturar uma folha de gelatina derretida ao creme do leite condensado e outra folha ás natas porque por vezes as natas não me ficam muito bem batidas.



sexta-feira, 22 de janeiro de 2010

Era uma vez uma alheira


A avó do meu marido todos os anos cria um porco que é dividido por ela, por nós e pelo meu cunhado. Em Dezembro fizemos a matança e na semana passada trouxe o fumeiro que foi sabiamente feito e curado por ela.
Não vou postar a receita porque por azar no dia em que o fumeiro é feito estou sempre a trabalhar e não posso explicar ao certo todos os passos deste processo. Espero para o ano conseguir ajudar nesta tarefa e  ver tudo certinho para aprender. 
Esta alheira foi assada no grelhador eléctrico com a pele (nós não tiramos a pele, as alheiras conforme vão assando vão perdendo a gordura em excesso e no final ficam com um aspecto tostadinho). Depois é só servir com batatas cozidas e um grelos salteados.
Podem não acreditar já comi muitas alheiras mas as dela são as melhores.


quinta-feira, 21 de janeiro de 2010

Doce de abóbora

Depois de ter adiado várias vezes esta tarefa, no fim de semana decidi-me a fazer o doce de abóbora.
Esta abóbora era de desfiar mas não a desfiei porque já tinha uma grande dor de mãos de a estar a descascar e acabei por a partir aos bocadinhos.
Normalmente as receitas do doce de abóbora são semelhantes mas ao dar uma volta no blog   desastresculinarios.blogspot.com/  vi uma  muito interessante que levava aguardente e resolvi acrescentar este ingrediente à minha receita e ficou muito melhor.

Ingredientes:
2- Kg de abóbora limpa
1- Kg de açúcar
1- laranja
3- paus de canela
1- cálice pequeno de aguardente

Preparação:
Descasca-se, limpa-se a abóbora e corta-se aos bocadinhos pequenos e deita-se num recipiente misturada com o açúcar e deixa-se repousar até ao dia seguinte.
Leva-se a mistura da abóbora ao lume e acrescenta-se a raspa e o sumo da laranja, os paus de canela e a aguardente e deixa-se cozer. Durante a cozedura vai-se mexendo para a abóbora ir desfazendo, e claro para o doce não pegar. Se a abóbora não estiver muito desfeita retiram-se os paus de canela e passa-se com varinha mágica ao de leve (ou bem passada conforme os gostos) adicionam-se novamente os paus de canela e deixa-se acabar de cozinhar. 
Quando fizer ponto de estrada o doce está pronto, retira-se a canela e é só transferi-lo para os respectivos frascos.

quarta-feira, 20 de janeiro de 2010

Bacalhau da Teresa



Há uns tempos tinha visto esta receita no sapo que me despertou a atenção e pelos ingredientes pareceu-me boa. Ontém resolvi faze-la  para o jantar e ficou decidido que é um prato para fazer mais vezes.
Em minha casa há um pequeno problema quando faço este tipo de pratos, somos só dois e então há sempre sobras  que são aproveitadas para o almoço do dia a seguir  e confesso que mesmo assim ainda vai um bocadinho para o lixo, o que é uma vergonha para os dias de hoje.

Ingredientes:
2- postas de bacalhau
2- cebolas médias
1- Kg de batatas
2- tomates médios
3- dentes de alho
1- pimento vermelho pequeno
1- Kg de ameijoas
- sal qb
- queijo ralado qb
- pimenta qb
1- folha de louro
- maionese qb
- azeite qb
1 dl - de vinho branco

Preparação:
Cortam-se as cebolas em meia lua e levam-se ao lume com o azeite e o alho picadinho até estalar. Quando estiver alourado juntam-se os tomates e o pimento cortados aos cubinhos e tempera-se de pimenta e de sal (muito pouco porque o bacalhau pode estar salgado) e  junta-se também a folha de louro.
Após estar bem refogado deita-se o bacalhau em lascas e limpo de peles e espinhas e junta-se o vinho.
No final acrescentam-se as ameijoas bem lavadas e deixa-se acabar de refogar até as ameijoas abrirem.
Entretanto, cortam-se as batatas ás rodelas e fritam-se.
Num pirex coloca-se o preparado de bacalhau em camadas alternadas com as batatas (começa-se e acaba-se pelas batatas) e por fim barra-se com a maionese e polvilha-se com o queijo.
Leva-se ao forno até tostar e serve-se com uma salada.

Para a próxima vou substituir a maionese por molho bechamel, também deve ficar bom.

sábado, 16 de janeiro de 2010

Questão

Toda a gente sabe que o lombo de porco é uma carne muito seca, cozinho-a de muitas maneiras mas acaba sempre um bocadinho seca.
Será que alguém me pode indicar uma maneira para esta carne ficar mais suculenta?

quinta-feira, 14 de janeiro de 2010

Mais um bichinho



Mais um bichinho que a minha amiga Sónia  me enviou virtualmente.
Obrigada  Sónia é muito fofo (já agora tens algumas novidades se tiveres apita)

segunda-feira, 11 de janeiro de 2010

Tiramisú



No fim-de-semana fiz este Tiramisú para o jantar. Quando me lembrei de o fotografar já só havia este bocadinho que está no frigorifico à minha espera.
(Até logo hi-hi.) 

Ingredientes:
4- ovos
100g- de açúcar
1- embalagem de queijo mascarpone de 250g
- palitos La Reine qb
- café forte
- Rum ou cognac qb

Preparação:
Batem-se as gemas com o açúcar até ficarem brancas (amarelo muito claro), junta-se o queijo e bate-se até formar um creme homogeneo.
À parte, batem-se as claras em castelo e juntam-se ao creme anterior (sem bater) e adiciona-se uma colher de rum ou cognac e mistura-se.
Faz-se café e acrescentam-se umas gotas de rum ou cognac e passam-se os palitos La Reine por esta mistura.
Numa taça sobrepõem-se camadas de palitos e de creme sendo a última camada de creme.
Coloca-se no frio e antes de servir polvilha-se com chocolate em pó.

quarta-feira, 6 de janeiro de 2010

Desde Segunda que tenho a cabeça assim:

Bem tento dar folga ao martelo mas ele insiste em trabalhar e aínda por cima faz horas extras.
É por essas e por outras que hoje ainda quase não entrei na cozinha, hoje comida só na rua.
Estou mortinha para ir para casa mas não posso, tenho que ir jantar com os meus sogros e depois ainda tenho uma reunião que de certeza vai até à meia-noite ou uma da manhã.

Quando me apanhar na cama vai ser tal e qual:

 

Porque será que hoje está quase tudo doente?

terça-feira, 5 de janeiro de 2010

Cerejas



Ontém satisfiz a minha gula com estas deliciosas cerejas que comprei no Modelo.
Eram óptimas.
ADORO cerejas.

segunda-feira, 4 de janeiro de 2010

Mousse de chocolate



O meu marido adora mousse de chocolate, cada vez que comemos fora escolhe sempre esta sobremesa.
Estava eu a pensar qual seria a sobremesa do jantar no Ano Novo e lembrei-me da mousse, decidi começar o ano a fazer-lhe um miminho.

Ingredientes:
100g- de chocolate
100g- de manteiga
5- colheres de sopa de açúcar
5- ovos
1- folha de gelatina
1- cálice de whisky

Preparação:
Leva-se ao lume o chocolate e a manteiga até derreterem. Depois de derretido junta-se o açúcar e mexe-se muito bem (para o chocolate não pegar à panela) e tira-se do lume.
Deitam-se as gemas uma a uma mexendo sempre em cada adição, junta-se o whisky e a folha de gelatina (que entretanto foi demolhada num pouco de água e derretida no microondas sem a água) e mistura-se este creme muito bem.
Batem-se as claras em castelo e envolvem-se no creme.
Coloca-se a mousse em tacinhas e decora-se a gosto.

Esta receita já era feita pela minha avó e pela minha mãe. A  primeira  vez que a fiz era eu pequena e a primeira parte da receita correu muito bem mas quando juntei as gemas ficaram tipo ovos mexidos. Resumindo e concluindo a mousse foi para o lixo porque o aspecto e o sabor não eram dos melhores, ninguém gosta de comer creme de chocolate com ovos mexidos.